terça-feira, 13 de novembro de 2007

Sem destinatário

Tava procurando uma figura pra postar junto com o poema Freedom, e ao jogar liberdade no Google, cheguei num blog chamado "sem destinatário". Li "As vagabundas quando amam", e me senti tentada a comentar... o comentário está abaixo:

"Bom, pelo menos você escreve de forma sincera! Soa machista, soa! Mas é o que você e a torcida do Flamengo pensam! Eu só sinto realmente um pouco de pena das ditas "vagabundas", porque se existe uma vagabunda que gosta de sexo fácil, existem pelo menos uns 1.000 caras que também gostam de sexo fácil, mas sequer sabem proporcionar prazer a elas... então eu sinto pena delas sim! Deles eu não sinto pena... pena é pouco!

Os rótulos, são realmente rótulos apenas. O sexo, vem se tornando tão banalizado e sem graça! E realmente, no final das contas, o que homens e mulheres buscam?
Uma mulher que vale a pena é aquela com a qual você não pode realizar suas fantasias? A santinha? A perfeitinha? A que finge que você é o máximo, mas você não é? (risos)

Bom, blog é pra isso. Você escreve suas opiniões e eu as minhas. Não temos que nos "atacar"... também espero que saiba que respeito suas opiniões... Cheguei até você porque estou procurando uma figura pra ilustrar a "liberdade"...
Um grande abraço! Amazona"

Bom, sejam homens ou mulheres, o respeito a individualidade de cada um é algo que considero importante!

Não dá pra buscar afeto de alguém que não te respeita, que não te admira e que não te valoriza!

Porque o homem "rotula" uma mulher de vagabunda e não se auto-rotula de mais vagabundo ainda? Por que ela não pode ter afeto depois do sexo? Sexo não é de fato uma troca? Existe realmente algo de muito estranho na cabeça masculina!!! Talvez o macho que pega a vagabunda ache que não precisa fazer nada além de penetrar... e talvez esse mesmo macho faça algum carinho na mulher pra namorar, só porque sabe que mulher gosta disso... Mas são todas pessoas... Não são?

Acho que as mulheres que permitem que os homens a usem e as descartem também deve repensar o que de fato buscam. Não é deixar de fazer o que quer por medo de um rótulo! Mas é ser consciente de que uma relação sexual em si pode não oferecer nada que valha a pena lembrar!

Então, a questão não é ser isso ou aquilo. Dar no primeiro ou no décimo encontro... namorar ou ficar na balada! A questão é: alguém que mereça seu corpo, mesmo que instantaneamente, deve ter mais que um corpo pra oferecer... e se sexo pra você é o foco e você é do tipo que quer mesmo quantidade, no problem... provavelmente você pode ganhar um rótulo. Mas o que conta mesmo é: que tipo de satisfação você está tendo?

Minha mãe diz que mulheres dão sexo pra ter carinho e que os homens dão carinho pra ter sexo... mundo estranho... qualquer coisa dada fica legal quando é recíproca... então, concluo que sexo também é reciprocidade... e tem sim, que valer a pena! Seja lá em que estilo for!

Um comentário:

floresdeplastico disse...

Vi o blog. Achei que são uns babacas, argh!