domingo, 18 de maio de 2014

Ilusões (recorrentes)



Quantos poemas eu vou ter que escrever?
Até parar de sangrar
Até estancar 
O coração
Assim, ferido...

Quantas lágrimas eu tenho que derramar?
Até aprender a me fechar
Com mil cadeados
E milhões de trancas

Quantos personagens eu tenho que interpretar?
Para mascarar
A minha personalidade

Eu sei que gosto mesmo é de jogar
Com essas coisas
Da sensibilidade

Eu sei que costumo provocar
Uma certa dualidade
Parem de me cultivar
E me cultuar
Como uma eterna divindade!!!!

Eu não tenho nada de sagrado
A verdade é que sou bem profana
Pena que nem todo mundo acredita!!!!
Até projeto uma imagem
Que parece ficar bem na fita...

Mas eu comecei tão dramática
E perdi o fio condutor
Creio que não haverá um novo poema
Para expressar minha dor...

Guel Pinna -Salvador, 18/05/14 11;38h

Um comentário:

Olhar com Coração disse...

ola, gostei do que li :)
bjoo
http://olharcomcoracao.blogspot.pt/